sábado, 2 de junho de 2012

Estabilizar a europa

Uma ideia futurista distópica: e se levarmos a crise financeira, intervenções do FMI, ingerências e incompetência das instituições europeias, pressões capitalistas centro-europeias e medos de desagregação da união europeia ao limite? Imaginemos forças franco-germânicas a ocupar os países sul europeus, combatendo guerrilhas urbanas nas grandes cidades-capital de países como Portugal, Grécia ou Espanha. Governos e instituições locais substituídas por comissões de emergência nomeadas por Bruxelas para travar a possibilidade de fuga dos países do espaço europeu. Ingleses pragmaticamente a observar, tropas alemãs e francesas espalhadas a proteger os interesses financeiros e os condomínios de praia para reformados centro-europeus. Costa del Sol com postos de controle ladeados por carros de combate Panhard, céus do Alentejo percorridos por Rafales em patrulha, a Madeira como base militar da Kriegsmarine para controle da ZEE, IEDs na acrópole a desfazer forças de estabilização europeias em polpa sangrenta. Tensões no leste europeu, ETA aliada ao governo espanhol no exílio a explodir seats carregados de tnt na avenue des etoiles. Cocktails molotov em garrafas de Guiness atirados contra o consulado da UE em Dublin. Uma guerra civil europeia. O sonho de construção de uma nova europa na ponta da baioneta.

Sem comentários: