quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Habitat



Simon Roy (2016). Habitat. Berkeley: Image Comics.

Uma interessante variação sobre o tema dos habitats espaciais e naves geracionais, a recordar um pouco o que Bruce Sterling fez em Taklamakan ou Kim Stanley Robinson em Aurora. Habitat é uma prototípica estação espacial tipo O'Neill, cujos habitantes, agora na quarta geração, estão isolados do resto da humanidade e decaíram civilizacionalmente num ecossistema em colapso. Tempos antes, um acidente provocou uma quebra no casco e os protocolos de segurança isolaram a estação. Gerações depois, as equipes de trabalho degeneraram em tribos, com os sanguinários herdeiros da segurança em combate contínuo contra engenheiros. A salvação virá, graças a um cadete da segurança do habitat que descobre um chip contendo planos proibidos para as impressoras 3D da estação. Numa sociedade decaída a níveis pré-históricos, a possibilidade de deter uma arma laser vai colocar em movimento um processo que, felizmente, se saldará pelo regresso dos habitantes da estação à humanidade.

História interessante, mas o que torna este comic intrigante são as visões do habitat em si. Simon Roy pega nas iconografias utópicas dos planos dos anos 70 e 80 e fá-las decair em selvas. As ecologias colapsadas e arquitecturas futuristas envoltas em lianas são as imagens mais marcantes deste livro.

Sem comentários: